Saberes Nômades…

Knowledge Nomads: a study on student migration

Knowledge Nomads: a study on student migration is a research concerning the movements and trajectories – spatial and symbolic, urban and rural – of people who migrate in Bahia looking for education opportunities. It approaches student migration from the perspective of Deleuze’s nomadism. The study consists of two parts: 1- Trajectories’ maps (paths and streams) of student migration in four institutions/programs: undergraduate pedagogy program at the Plataforma Freire/Ipirá (28 students); undergraduate courses at DEDC XIII/Itaberaba (30 students); technical education courses at IFBA Camaçari-Campus/Núcleo Avançado Dias D’Avila (26 students); undergraduate course in Intercultural Indigenous Education at IFBA-Campus Porto Seguro (30 students). The second part includes the collection and analysis of migration narratives of students belonging to the cases studies. Analysis of data collected in the study will be supported by the following software: Philcarto-cartographic representation; Dayane-analysis of questionnaires and Nudist NVivo–life history analysis. Research results will be presented in three reports (I-Mapping of educational tracks; II-Stories of student migration: III-Evaluation of the study). This study is important cause its incorporate the student migration in the scope of migration studies, the mapping of movements for the purposes of study and, the most importantly, the testimony of students about migrating to study and about studying while migrating.

Keywords: Student Migration – Nomadism – Life History – Migration Cartography

Nômades do Saber: um estudo sobre migração estudantil

A Universidade do Estado da Bahia-UNEB é uma instituição marcada pela diversidade na origem geográfica dos seus estudantes e professores. Em função da sua estrutura multicampi acolhe nos seus campi docentes e discentes que se deslocaram e se deslocam no território baiano e brasileiro em busca de oportunidades e possibilidades de estudos. O Departamento de Educação do Campus XIII da UNEB, situado no Piemonte da Chapada Diamantina tem sido, durante anos, ponto de confluência de pessoas, da região, em busca de estudos em nível superior. O Núcleo Integrado de Psicologia e Psicopedagogia-NIPp/DEDC XIII está realizando uma pesquisa denominada Nômades do saber: um estudo sobre migração estudantil que se propõe olhar de forma cuidadosa para este fenômeno.

Um espectro percorre o mundo e é o espectro da migração.              (HARDT y NEGRI, 2000:178)

 Deslocar-se pelos territórios é uma prática ancestral características dos grupos humanos desde a antiguidade. Tal prática ignora as fronteiras e os limites sociais e territoriais (físicos e simbólicos) estabelecidos pela constituição dos estados-nação e das relações econômicas nacionais e internacionais.

Nômades – homens, mulheres, crianças, jovens, idosos – se movimentam pelo território nacional como estratégia de concretização dos projetos de vida pessoal e/ou familiar. Projetos que envolvem propósitos de cunho afetivo-emocional, religioso, saúde, intelectual, econômico ou qualquer motivo que mobilize os sujeitos a inserir-se na aventura de “estar por aí no mundo”.

Nômades do Saber – homens, mulheres, crianças, jovens, idosos – se movimentam pelo território nacional e internacional como estratégia de concretização dos projetos de formação intelectual pessoal e/ou familiar.

As categorizações e as generalizações, além dos preconceitos, fazem com que muitas facetas do processo de migração sejam esquecidas e invisibilizadas pela abordagem majoritariamente econômica e reduzida a busca por trabalho. Tais abordagens estão presentes nos estudos e publicações a respeito dos deslocamentos dos brasileiros nos territórios nacional e internacional. Quando se trata dos deslocamentos dos nordestinos a abordagem, em geral, está focada na fuga da miséria e busca por supostos oásis nos centros urbanos. Uma das facetas esquecida e que torna invisível o deslocamento de muitos sujeitos é o da migração com fins de estudos.

O estudo dos movimentos migratórios requer a revisão de conceitos, categorias e paradigmas relacionados à temática. Supõe-se que as categorias tradicionais de migração temporária[1], permanente[2] e de trânsito não são suficientes para por luz aos movimentos e deslocamentos tampouco às tendências do fenômeno. A recente abordagem transnacional (Portes, 2005) ainda não é capaz de fazê-lo, posto que os debates e conflitos entre os teóricos convergem em poucos aspectos e apontam para a multiplicidade de formas e conteúdos dos processos migratórios atuais – aspecto que dificulta as generalizações conceituais.

Para Blanco (2000), não são consideradas migrações os deslocamentos turísticos, as viagens de negócios ou de estudo por sua transitoriedade e por não implicar em uma reorganização vital. No entanto, os deslocamentos de estudos podem e devem ser considerados no âmbito dos movimentos migratórios por que:

1) o fator espacial está presente na migração estudantil, já que supõe deixar o local de origem e dirigir-se a um povoado, vila ou centro urbano (cidade) do mesmo ou de outro município, região, território de identidade, estado  ou país;

2) os deslocamentos não são esporádicos, mas se trata de um período longo cujo prazo varia em função do nível e modalidade de ensino;

3) social e culturalmente, aos estudantes, supõe mudanças significativas no entorno, já que a sociedade em que os sujeitos vão seguir formando-se apresenta características que a diferencia da anterior.

Urge uma dimensão conceitual que abarque a variedade e a amplitude do fenômeno. Para além das leis, acordos, tratados, programas e planos, jogos de interesses políticos e econômicos, discursos e representações sociais colonialistas em nível nacional (relação sudeste-nordeste) e internacional (países – e sua gente – desenvolvidos e não desenvolvidos). Os deslocamentos das pessoas não podem permanecer eclipsados pela rigidez dos conceitos e análises preponderantes. Necessitam ser compreendidos como processo, começo-fim de experiências, movimentos de um lugar a outro e a outros mais, espirais de desenvolvimento pessoal, familiar, econômico, intelectual e social. São as pessoas (seus sonhos e desejos), enlaçadas nas redes familiares e afetivas (seus projetos, aspirações e redes), que dão forma às migrações – sobretudo às estudantis.

O fenômeno da migração costuma ser abordado a partir de três teorias: Teoria Econômica Neoclássica[3]; Teoria da Aproximação Histórica-estrutural[4]; Teoria dos Sistemas Migratórios[5]. Esta última assumida como eixo em Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil.

A teoria dos sistemas migratórios traz a concepção de rede constituída por pessoas de distintos (dois ou mais) espaços geográficos que intercambiam migrantes. Acolhe os fatores políticos e econômicos, ao passo em que explora as conexões que vão desde o nível institucional até as práticas sociais.

O princípio básico é que qualquer movimento migratório pode ser entendido como conseqüência da interação entre a macro e a microestrutura. A macro estrutura se refere aos fatores institucionais de grandes dimensões, enquanto que as microestruturas abordam as redes, as práticas e as crenças dos próprios migrantes. Estes dois níveis se vinculam por um conjunto de mecanismos intermediários aos que se denomina meso-estrutura.  (FAWCETT, AWCETT e ARNOLD apud CASTLES & MILLER, 2004:39-40)

As pessoas migram, os estudantes migram e, sobretudo na Bahia em função da malha de oferta dos níveis de escolaridade, o fazem em nível municipal, intermunicipal e estadual. Diante dessa realidade cabem alguns questionamentos:

Por onde transitam estes estudantes?

Quais percurso de migração estão implícitos nas trajetórias educativas e quais são predominantes?

Quem são estes estudantes, onde estão, como gerem o seu cotidiano, onde estão expressas as suas histórias e os seus saberes?

Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil, em termos metodológicos, consiste em um estudo de caso do tipo descritivo[6] composto por uma cartografia de trajetórias de migração (analisado e representado com o apoio do software Philcarto) e relatos de vida de estudantes (analisados desde a perspectiva das marcas discursivas e dos encontros culturais[7], com o apoio do software Nudist Vivo). É uma investigação qualitativa posto que contextualizada; orientada ao caso; baseada na interação entre investigadores e investigados, que aportam experiência vicária; voltada ao marco de referência dos atores.

Nômades do Saber se desenvolverá através do estudo de cinco casos:

a) Plataforma Freire /Ipirá  – alunos do curso de Licenciatura em Pedagogia, turma 01;

b) IFBA / Campus Camaçari/ Núcleo Avançado Dias D`Ávila  – alunos ingressantes no semestre  2010/1 de Formação em Técnico em Informática com ênfase em Desenvolvimento de Softwares;

c) IFBA-Campus Porto Seguro – alunos do curso de graduação em Educação Intercultural Indígena ;

d) UNEB- Campus XIII – Departamento de Educação – cursos de Graduação em pedagogia, Letras e História ;

e) Pesquisadores envolvidos no Nômades do saber – alunos e professores da UNEB e do IFBA.

O estudo de caso Nômades do Saber é uma pesquisa empírica que lança mão de múltiplas fontes de informação para coleta de dados (documentos de secretaria, dados do censo escolar, estatística do IBGE) e processos de investigação (questionário, história oral de vida) para identificar a estrutura e a dinâmica do fenômeno de migração estudantil nos casos pesquisados, pois as características e elementos integrantes não estão definidos em investigações anteriores ou na literatura relativa ao tema. Um estudo de caso se propõe a “…investigar um fenômeno contemporâneo, no contexto da vida real, especialmente quando as fronteiras entre o fenômeno e o contexto não estão perfeitamente delimitadas”. (YIN, 1994:13)

Em Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil o estudo das narrativas migratórias se realizará através de relatos de vida temáticos[8] pois tal orientação permite ver, através do discurso de cada narrador, o percurso de cada processo, as argumentações e justificativas, além de outros elementos que permitam conhecer a interação dos narradores com os contextos interculturais nos quais conviveram no intercurso das suas trajetórias formativas migrantes.

Pujadas (1992) diferencia relato de vida referindo-se a este termo como histórias de uma vida tal como a pessoal que a viveu conta; e à história de vida como ao estudo de caso referente a uma pessoa compreendendo não apenas o relato de vida como qualquer outro tipo de informação ou documento adicional que permita a reconstrução de forma mais exaustiva e objetiva possível. (RODRÍGUEZ, 1996:34)

Com o propósito de possibilitar a participação voluntária de outros estudantes das instituições envolvidas e de outras instituições educativas, além da obtenção de dados para a ampliação da abrangência do estudo, para o ano de 2011, será construído um software para o mapeamento e representação cartográfica de trajetórias de migração estudantil.

Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil é uma aproximação aos movimentos e trajetórias de pessoas que se deslocam no território baiano em busca de oportunidades e possibilidades de estudos. Tem por principais objetivos mapear trajetórias formativas das populações investigadas e conhecer narrativas de migração estudantil.

Esta proposta se insere no rol das investigações que abordam a relatos de vida de estudantes e profissionais baianos cuja trajetória escolar inclui deslocamento (entre povoados, municípios, territórios de identidade, estados, país) para a continuidade dos níveis e modalidades da educação básica e/ou tecnológica e/ou superior.

A relevância do estudo radica na inclusão dos deslocamentos por motivos acadêmicos, dentro da perspectiva geral das migrações; a inserção dos estudantes migrantes no coletivo migrante; no mapeamento de trajetórias de formação com enfoque nos deslocamentos e na análise do processo de migração estudantil desde a perspectiva dos encontros culturais.

Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil está, inicialmente, composto por duas etapas de aproximação ao universo das trajetórias de migração estudantil: a) mapeamento das trajetórias de formação com enfoque nos movimentos de migração estudantil (da educação infantil ao nível superior) e definição de fluxos e percursos migratórios predominantes dos alunos e alunas da Licenciatura em Pedagogia da Plataforma Freire/Ipirá (turma 01); alunos e alunas do curso de Formação em Magistério- Educadores do Campo/nível médio no DEDC XIII; alunos e alunas do 2º semestre de Formação em Técnico em Informática com ênfase em Desenvolvimento de Softwares do IFBA– Campus Camaçari/ Núcleo Avançado Dias D`Ávila; b) coleta e análise de narrativas migratórias de estudantes pertencentes aos três estudos de caso.

A análise dos dados coletados no estudo será apoiada pelo software para representação cartográfica Philcarto e pelo software para análise de dados qualitativos Nudist Vivo. Os resultados de Nômades do Saber – um estudo sobre migração estudantil serão apresentados através de três informes de investigação (a. mapeamento das trajetórias de formação; b. histórias de migração estudantil; c. meta-avaliação do estudo).
 

OBJETIVOS

Estudo de trajetórias de migração estudantil:

a)      Mapeamento das trajetórias:

– levantamento do trajeto educativo dos pesquisados (localidades por nível e modalidade de ensino);

– determinação dos deslocamentos;

– representação cartográfica dos deslocamentos individuais;

– análise e definição dos fluxos de deslocamento;

– representação cartográfica dos fluxos.

b)     Coleta e análise de narrativas de migração estudantil

– definição da amostra para os relatos de vida;

– seleção dos narradores para as narrativas de migração estudantil;

– entrevistas;

– transcrição e transcriação dos relatos de vida;

– análise das narrativas de migração: a) identificar as marcas das práticas discursivas (origem geográfica; faixa social; faixa etária; gênero; condições de sobrevivência-ocupação, atividades, alimentação, moradia, transporte, saúde; território linguístico; estudos e formação na narrativa migratória); b)análise dos encontros culturais com base nos níveis (cognitivo, emotivo, legislativo, representações sociais, devir) e os aspectos psicológicos e pessoal (gênese, incubação, assentamento, consolidação, quimera).  

 Tabela 01. Conceitos adotados e reconstruídos para a análise dos relatos de vida

1. Encontro cultural

…o encontro cultural não é tanto um choque, como um desencontro, mas uma estranheza irreflexível (Checa Olmos, 2003:145)

1.1 Níveis dos encontros culturais

…aclara os diferentes nívies nos quais o encontro cultural pode se produzir. Destacarei ao menos cinco: cognitivo, emotivo, legislativo, dos preconceitos étnicos e das relações étnicas. (Lacomba, 2001:107-113 citado por Checa Olmos, 2003:164)

1.1.a Cognitivo

São as formas que desde pequeno te têm ajudado a viver, a entender o mundo, a desenvolver-se em sue mundo, e como agora terá que que modificar-las e/ou readaptalas ajustando-se à sua nova situação, à sua realidade (Checa Olmos, 2003:164)

1.1.b Emotivo

Refere-se ao desengano da idéia prévia à partida – que previa expectativas de progresso, ascensão social, bem estar para os seus – ao menos a médio e longo prazo- com o panorama que se encontra na nova sociedade. (Checa Olmos, 2003:164)

Nesta investigação o nível emotivo não está restrito ao desengano, envolve todo tipo de expectativa, percepções e as mudanças com relação a elas, no novo espaço de vida.

1.1.c Legislativo

…sobre todas as restrições que este supõe para os recém chegados, convertidos com freqüência em ilegais. (Checa Olmos, 2003:165)

Nesta investigação a perspectiva legislativa inclui tanto os vazios legais que os migrantes vivenciam nas sociedades de acolhida, quanto às possibilidades e restrições legais e políticas nos diferentes espaços do processo de migração, incluindo o seu local de origem.

Os níveis de Preconceitos Étnicos e das Relações Étnicas não serão utilizados no estudo. Aqui serão analisadas as Representações Inter-étnicas e o Devir, abaixo definidos.

1.1.c Representações Inter-étnicas (perspectiva na investigação)

O conceito de representações sociais contempla as diversas formas de manifestação e a variedade olhares possíveis sem que se façam valorações prévias relativas às formas de encontros entre pessoas. Nesta investigação, as Representações Inter-Étnicas são compreendidas como versões da realidade dos diferentes grupos, culturas, religiões e modos de vida humano que, por serem compartilhadas, fundam, sustentam e dinamizam as formas de comunicação, funções, papeis e conteúdos simbólicos nos encontros humanos.

…tomadas de posição em outras realidades simbólicas coletivas, como as hierarquias de valores, as percepções que os indivíduos constroem das relações entre grupos e categorias e as experiências sociais que eles partilham com o outro. (Doise, 2002:30)

1.1.e Devir

Neste estudo a migração é entendida como processo em espiral, que se inicia em lugares distintos do atual local de residência dos narradores, e segue seu curso para além de tais fronteiras. Deste modo o Devir evidencia e inclui os planos e projetos dos sujeitos migrantes tanto no local atual quanto em outros locais, tanto em direção à morada atual quanto desde esta para outros lugares.

1.1.1 Abordagem Psicológica e Pessoal dos Encontros culturais

O encontro cultural se apresenta como um processo dinâmico e contínuo que, formulado como “tipo ideal”, está composto por várias etapas que se encaminham para a superação, através da assimilação ou da adaptação-integração dos migrantes, por um lado, e da aceitação por parte dos grupos majoritários, por outro. (Checa Olmos, 2003:162)

1.1.1.a Gênese

…primeiro contato na nova sociedade…. trata de comprovar todo aquilo que esperava da sociedade de instalação. (Checa Olmos, 2003:162-163)

No estudo, a etapa da gênese inclui todo o trajeto migratório até a chegada ao local de moradia atual. Constitui o panorama da vida do narrador em seu local de origem e durante a trajetória de migração. Está formado pelas causas de fundo da decisão de migrar: como se forjou, quem quais pessoas apoiaram o projeto, quais informações prévias marcaram as escolhas, etc. esta perspectiva coaduna a de Sayad (1999) ao afirmar:

Costuma ocorrer que o migrante, para a sociedade que o denomina como tal, nasceu no dia em que aportou às fronteiras do país. Encontramo-nos, deste modo, ante uma nova versão de etnocentrismo: se trata de conhecer só o que interessa conhecer.  (Sayad, 1999 apud Ioé, 2000:27)

1.1.1.b Incubação

…o recém chegado começa a viver situações e momentos que não conhecia nem suspeitava, que incluso não lhe haviam contado; se topa com a crua realidade. (Checa Olmos, 2003:163)

1.1.1.c Assentamento

…una avaliação, tanto dos valores próprios como dos que vão descobrindo na nova cultura. Começa a distinguir o positivo, ainda dentro do seu arraigo, da sua nova situação. (Checa Olmos, 2003:163).

1.1.1.d Consolidação

… é quando, verdadeiramente, começa a aceitar que a nova cultura tambeém tem aspectos positivos, dos quais participa e se beneficia ( ou pode fazer-lo). (Checa Olmos, 2003:163)

1.1.1.e Quimera

… produzida quando o migrado reafirma sua cultura e o receptor a sua e ambos se percebem como incompatíveis. (Checa Olmos, 2003:164)

Fonte: Elaboração própria

 

 

 


[1] Migração temporal ou circular, para os deslocamentos contínuos e recorrentes, nos quais a residencia habitual permanece na comunidade de origem.

[2] O termo migração permanente costuma ser usado para referir-se aos que mudam de maneira definitiva da sua comunidade, região ou país de residência habitual.

[3] Segundo Castles y Miller (2004) a Teoria Econômica Neoclássica, está centrada no capital humano e no investimento financeiro, aborda a migração desde o ponto de vista individual e voluntário de maneira tal que a decisão de migrar, o destino, o momento, a rota e suas mudanças estão baseadas na relação custo/benefício.

[4] A perspectiva da Aproximação Histórico-estrutural  “ enfatiza a distribuição desigual do poder econômico e político na economia mundial (Castles y Miller, 2004:38) e põe relevância nos processos de recrutamento e exploração da mão de obra apontando a migração laboral como inserida num processo de dominação entre as economias centrais e os rincões periféricos da estrutura capitalista.

[5] A Teoria dos Sistemas Migratórios surgiu nos anos 60. Apresenta-se como crítica às perspectivas positivas e hoje está concebida como uma convergência de teorias incluindo a teoria dos sistemas-mundo, a teoria das redes migratórias, a teoria institucional e a teoria da causalidade acumulativa.

[6] Estudos de caso descritivo intencionam descrever a natureza, ocorrência ou sequência de um fenômeno que caracteriza a realidade social. Não objetiva formular ou testar teorias.

[7] …o encontro cultural não é tanto um choque, mas um desencontro, uma estranheza irrefletida. (CHECA OLMOS, 2003:145)

[8] Começa com um tema específico, pré-estabelecido e se compromete em aclarar a opinião do entrevistado sobre algum evento definido (MEIHY, 1998).

7 respostas para Saberes Nômades…

  1. Marcia Gonçalves disse:

    Olá Nômades,
    Agora, somos nômades tbém no IFBA Valença.
    Falta acrescentar!!
    BAraços,
    Marcia

  2. Christina Santos disse:

    i totally agree with you!

  3. Celo disse:

    good blog. i will try it in my posts, and let’s see the result.

  4. felipe ferreira moreira disse:

    Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s